Exportação de gado vivo, até quando?

O Brasil em pleno ano de 2019 ainda continua exportando gado Vivo, para ser sincero e bem curto, sou totalmente contra.

Primeiro, mesmo que eu goste de comer carne assada e etc, não concordo que o bicho tenha que sofrer tanto antes da morte. Segundo, isto não traz benefícios ao país, perdemos boa parte da cadeia produtiva, exportamos matéria prima viva e deixamos de ganhar ainda mais manufaturando, seja no frigorífico, como também no curtume e todos os derivados que surgem do gado. Movimenta uma indústria muito grande, que gera empregos, renda e muitas das vezes em cidades do interior do Brasil que tem poucas oportunidades.

Exportando, damos todas estas oportunidades para as industriárias de outros países!

Precisamos despertar como nação e parar de desejarmos sermos apenas fornecedor de matérias primas, para fornecedor de produtos industrializados para o mundo e assim, aumentar a renda da população, gerarmos bons empregos e toda roda girando de forma mais rapida e positiva. Ainda somos o país que os Portugueses descobriram, exportando soja, ferro, gado, frutas e etc.

Vamos exportar carros, barras de ferro, carne industrializada, sapatos do couro do gado e suco!

Espero que o Senado aprove o projeto le Lei 357/2018, do senador Rudson Leite (PV-RR), que proíbe exportação de gado vivo.

 

 

Visits: 1656

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.