População vai continuar pagando mais caro pela energia elétrica nos próximos meses

Já são mais de 8% de acréscimo desde 2020

Se você achava que teria uma folga da bandeira vermelha na conta de energia elétrica, a decepção será grande: de acordo com as projeções, a cobrança mais alta vai permanecer por algum tempo.
No mês de junho, a cobrança está sendo feita no que é chamado de bandeira 2: de forma bem parecida com os táxis, essa bandeira quer dizer que o custo de 100 kWh sobe em mais de R$ 6.
Para a tristeza de todo mundo, o mês de julho não tende a ser diferente: de fato, é bastante provável que a bandeira 2 continue no próximo mês. Porém, ao menos a bandeira 1 é tida como certa: nela, o aumento do custo fica na casa dos R$ 4.
Essas cobranças tão mais altas têm feito com a situação financeira da população, em especial das de classe C e D, fique ainda mais complicada. Afinal, a última vez em que a conta de energia elétrica foi contabilizada com a bandeira mais baixa, a verde, foi em dezembro.
Entre janeiro e abril, os consumidores tiveram de lidar com a bandeira amarela: apesar de ter um adicional mais modesto, não deixa de significar contas mais altas. Desde maio, no entanto, a cobrança tem estado na bandeira vermelha.

Resposta está naquilo que não tem vindo do céu ultimamente: a chuva

O motivo para que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) tenha decidido adicionar as bandeiras de cobrança extra é bastante simples: o fato de estar faltando água nas usinas hidrelétricas do país inteiro.
Apesar de os três primeiros meses do ano serem os mais chuvosos, 2021 não teve tantos milímetros de água como o esperado e isso começou a prejudicar a produção elétrica.
Com o fim do verão, a situação se tornou mais grave e a notícia ainda pior é que a previsão para mais precipitação é só em dezembro, já que inverno e primavera não são conhecidos pelas grandes chuvas.
Sendo assim, as notícias são ruins: pode haver ainda mais meses de bandeira vermelha pela frente, o que será sentido na carteira dos brasileiros.

População pode ajudar a recuar um pouco nas bandeiras?

A curto prazo, é bastante difícil que a bandeira vermelha seja revogada, mas é possível recuar da bandeira 2 para a 1 com um pouco de ajuda da própria população.
Para isso, é preciso controlar o consumo de água, acabando com o desperdício que faz com que as hidrelétricas fiquem com níveis ainda mais baixos.
Afinal, o plano é que o governo federal precise recorrer o mínimo possível a soluções ainda mais caras, como a geração de energia por meio de usinas termelétricas.
Ainda é preciso aguardar o final do mês para saber qual será, oficialmente, a bandeira usada pela Aneel na cobrança das contas de eletricidade.
Contudo, a recomendação é se preparar para mais adicionais e, na medida do possível, controlar o consumo elétrico.

 

 

Visits: 873

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.